Conheça o Evento Que Pode Transformar Sua Empresa em Uma Máquina de Inovação Acelerada, em Apenas Um Dia, Conhecendo de Perto o Modelo Exponencial de Crescimento Chinês...

 

Você terá acesso exclusivo a 09h de palestras e networking com algumas das melhores cabeças chinesas no China Day Conference, um evento que muito provavelmente os seus concorrentes nunca ouviram falar.

 

Muitas empresas passam pelo mesmo problema em seus mercados… não importa o tamanho ou segmento.

 

Todas chegam a um momento em que elas não sabem mais como inovar seus negócios e crescer mais.

 

Parece que tudo o que elas fazem para isso não dá resultado ou é muito custoso…

 

  • Gastam com marketing…

 

  • Não tem mais de onde tirar criatividade para novos produtos…

 

  • E na retranca, elas ainda precisam brigar com cada vez mais concorrentes pelos mesmos consumidores.


Uma hora não tem mais mercado para todo mundo e sua fatia do bolo vai ficando cada vez menor…

 

Eu já vi isso acontecer com dezenas, senão centenas, de empresas e empresários.

 

E se ver diante de uma situação dessas…

 

Onde tudo o que você faz parece não ter resultado, a concorrência cada vez aumentando mais…

 

E suas margens só diminuírem.

 

É desesperador…

 

O que quero te propor aqui é a chance de você simplesmente sair desse ciclo sem fim.

 

Onde muitos empreendedores se encontram num verdadeiro beco sem saída.

 

Não estou falando de uma fórmula mágica…

 

Algum segredo ou método infalível…

 

Falo de algo tão claro e cristalino, que eu não acredito como ainda tem empresas que não estão olhando pra isso.


Existe uma nova forma de se fazer negócios… E você infelizmente está fazendo isso errado.

Se você está lendo essa mensagem é porque você teve acesso às 3 lições que algumas poucas empresas no Brasil estão aprendendo com a China.

 

E eu quero reforçar aqui tudo o que você leu lá…

 

Quem empreende em um mercado de mais de 1 bilhão de pessoas e se torna vencedora realmente tem que ser observada de perto.

 

Afinal estamos falando de empresas que aprenderam métodos rápidos de resolver mais de 1 bilhão de problemas de seus consumidores.

 

Enquanto empresas ocidentais não entendem o mercado chinês e oriental no geral…

 

A China está utilizando estratégias e mudanças de mindset capazes de tornar empresas 100% digitais (como a Alibaba) irem para o mundo físico…

 

Ter centenas de milhões de clientes praticamente nas mãos.

 

E ainda ter tempo de “abocanhar” aos poucos mercados de outros países.

 

Europa, América Latina, Brasil, Austrália, etc…

 

Esse modelo próprio e até mesmo agressivo e impetuoso da China fazer negócios e conquistar mercado está desesperando empresas ocidentais.

 

O Google é o lugar onde as pessoas mais pesquisam sobre qualquer assunto, ele está tentando voltar para a China, mas para isso planeja criar um mecanismo de busca próprio que não infrinja algumas políticas internas de utilização de internet do país.

Google China

A Starbucks foi à China para o mercado de cafés (lembrando que lá a bebida mais consumida é o chá), e a estratégia deu tão certo que hoje ela domina 55% do mercado chinês nesse setor. E novas lojas são abertas a uma velocidade maior que 1 loja por dia.

O Walmart (maior varejista física do mundo) está investindo milhões junto com o Google na empresa de comércio eletrônico JD.com, para ajudá-la a erguer um império global e competir com a Amazon.

 

 

Ela inclusive é chamada de Amazon chinesa.

 

A resposta do porque essa procura desenfreada das grandes empresas ocidentais pelo mercado chinês está acontecendo é fácil de explicar:

 

  • Um país que consiga gerar produtos que solucionem problemas de mais de 1 bilhão de pessoas pode facilmente se expandir para outros países do mundo pela sua escalabilidade (afinal ele foi testado por essa quantidade absurda de pessoas);
  • A população chinesa fica economicamente mais ativa a cada ano. Cerca de 69 milhões de chineses saíram da linha da pobreza e começam a ter acesso à tecnologia e serviços digitais. Ou seja, tornam-se cada vez mais potenciais compradoras de produtos que os ocidentais podem vender;
  • Como a China ainda é fechada em alguns aspectos para o Ocidente, esse mercado consumidor ainda não foi atingido por essas empresas. Ou seja, qualquer empresa ocidental nova que conseguir transpor essa barreira cultural e econômica terá esses milhões de clientes à disposição com pouca ou nenhuma concorrência
  • E como as empresas de lá lidam com essas mudanças rápidas de mercado, com cerca de 1 bi de consumidores e um investimento interno que estimula cada vez mais empresas a crescerem todos os anos por lá e ganharem o mundo é algo que muitas empresas ocidentais querem aprender desesperadamente (porque atuam em um mercado já saturado de concorrentes e um número de clientes limitados geograficamente).

 

Vou relembrar para você as 3 lições que as empresas devem aprender com a China para entender como agora todas as peças vão se encaixar:

 

  • Não tenha uma empresa medrosa: os chineses são corajosos ao criar seus negócios. Eles já pensam em uma escala global e não apenas local. Enquanto que o mercado varejista na china era quase inexistente, as empresas de tecnologia decidiram tornarem-se varejistas digitais sem passar pelo meio físico. Isso barateou seus negócios e escalou as empresas a uma velocidade absurda. Afinal 800 milhões de chineses usam a internet hoje em dia.

 

  • Se for copiar, seja o melhor nisso: empresas ocidentais têm receio em copiar as concorrentes. Pelo menos elas fazem o máximo para esconder isso… Os Chineses não. Eles usam o copiar como uma forma de aprender mais sobre as concorrentes e oferecer um produto ainda maior para o seu povo. Como o mercado chinês é fechado para o ocidente, eles copiam as novidades de lá e soltam em seu mercado interno. O resultado é uma explosão de compras. Eles usam isso (que é quase um teste beta com 1 bi de pessoas) para melhorar esses produtos. Perceba a conta: copiar + melhorar = criar algo exclusivo melhor que o original.

 

  • Só faça parcerias que gerem negócios depois: para o executivo chinês a máxima “tempo é dinheiro” vale mais do que para o americano. Como todo empresário chinês busca escalar cada vez mais seus negócios para fora das muralhas chinesas, eles buscam apenas empresas grandes para negociar. 

 

Por um motivo simples: maior a empresa, mais clientes, mais dados eles podem ter sobre esses clientes. 

 

E utilização de Big Data é algo que as empresas chinesas (principalmente as de fintech e varejo eletrônico) fazem como nenhuma outra empresa no planeta. 

 

Portanto, feche negócios como os chineses, negociando os menores preços com os maiores clientes e buscando sempre os dados de um mercado novo. Para quando ele entrar nesse novo mercado, acertar em cheio nos produtos que pode oferecer a eles.

 

Veja por que é mais interessante para sua empresa se aliar e aprender com a China do que competir com ela..


A China está competindo diretamente com os Estados Unidos para liderar o mercado de inovação e tecnologia.

 

Tudo indica de que ela conseguirá sim ultrapassar o país do Tio Sam nessa disputa em poucos anos.

 

  • Ela é a nação mais avançada no e-commerce e tecnologias para o varejo físico;
  • É líder de investimentos em Inteligência Artificial, com um plano de governo em três etapas (2020, 2025 e 2030) para tornar-se líder mundial nesse mercado;
  • Possui a maior quantidade de dados de consumidores do planeta e é uma das mais avançadas na utilização de Big Data.

 

O resultado desses investimentos é que a China está conseguindo nos últimos 10 anos de hipercrescimento chinês…

 

Competir e ultrapassar em breve o Vale do Silício, uma região que lidera mundialmente o mercado de tecnologia e inovação há mais de 5 décadas.

 

O investimento é tão alto que podemos dizer que na China existem 4 Vales do Silício:

 

01 – Shenzhen:

Shenzen

 

Chamada de fábrica de hardwares do mundo. A importância disso é que ela fornece manufatura barata para empresas de tecnologia chinesas prototiparem seus produtos rapidamente. Enquanto no Vale do Silício o tempo médio de um protótipo ser testado é de 2 semanas, na China é apenas UMA NOITE.

 

02 – Beijing:

Beijing

 

Chamada também de capital das startups. Ela tem um capital de investimentos alto e um custo de vida baixo para novos empreendedores. Em um mesmo ambiente convergem o governo (um grande investidor dessas novas tecnologias) mundo acadêmico e empresas de tecnologia.

03 – Shanghai:

 

Shanghai

Capital financeira e berço das principais fintechs do país. Lá está a maior bolsa de valores do país, estima-se que mais de 10 empresas chinesas de tecnologia irão abrir o processo de IPO nos próximos anos e apenas essas terão um valor de mercado combinado de mais de US$ 500 bilhões.

 

04 – Hangzhou:

 

Hangzou

 

A “cidade do futuro” na China. Hangzhou possui vasta capacidade de fabricação em alta tecnologia. Um dos maiores centros de inovação em Inteligência Artificial e robótica do mundo. Agora também está investindo alto em veículos autônomos e elétricos, realidade virtual, voos espaciais, blockchain e tecnologia quântica. Com dezenas de parques industriais por lá só trabalhando nisso.

 

Como eu sei de tudo isso e como posso te ajudar?

Me chamo Ricardo Stanford-Geromel e cuido do time da StartSe na China.

 

Ricardo Geromel

 

Minha missão é incentivar e estimular empresas e empreendedores brasileiros a se aproximarem e aprenderem com o ecossistema chinês.

 

Acredite, esse é o MELHOR momento de você aproveitar e conhecer esses ensinamentos para transformar sua empresa e o seu mindset para fazer negócios.

 

A China é a maior parceira comercial do Brasil há vários anos.

 

Esse laço se estreitou com a crise financeira de 2008 e ajudou Brasil e China a passarem por aquele momento sem grandes dificuldades.

 

Só essa informação já é um facilitador para qualquer empresa brasileira que queira se aproximar da China e de suas empresas fazerem negócios.

Mas com a chegada de Trump à presidência dos Estados Unidos… outro facilitador surgiu:

 

USA x CHINA

 

Uma guerra comercial entre os dois países.

 

Enquanto os EUA defendem uma política de “americanos primeiro”, o presidente chinês, Xi Jinping, defende a globalização chinesa a todo custo e que a China iria se abrir para empresas estrangeiras.

 

E isso é uma oportunidade e tanto para as empresas daqui.

 

Lembra da lição número 3 dos chineses (só faça parcerias que gerem negócios depois)?

 

A China tornou-se parceira comercial do Brasil e ambas passaram pela crise de 2008 melhor do que muitos países do mundo.

 

Agora com a crise entre ela e os EUA, quais empresas e mercados ela vai dar preferência para fazer negócios?

 

Acertou quem disse: países parceiros, entre eles o nosso.

 

Há poucos meses o responsável pela Fintech mais valiosa do planeta (avaliada em 150 bilhões de dólares), Eddie Deng, da Ant Financial, disse que pretende estender seu modelo de negócio para outros países além da China.

 

E olha para o Brasil com bons olhos, afinal somos parceiros e uma potência na América Latina.

 

Estamos falando de uma empresa cujo valor de mercado é quase o triplo da Uber. Conhecido como startup mais valiosa do mundo.

 

Essa empresa que também é uma startup vale quase 3X mais do que ela.

 

E em um mercado onde os bancos brasileiros ainda engatinham no segmento digital e cujo serviço ainda desagrada muitos brasileiros…

 

Imagina o que as empresas que fizerem parcerias e negócios com uma gigante como a Ant Financial poderão aprender.

 

Durante todos esses anos que eu moro aqui na China, já recebi dezenas de empresários pela StartSe para fazer essa ponte entre empresários chineses e brasileiros.

 

É incrível como essa viagem realmente muda a mentalidade dos nossos executivos.

 

Por outro lado…

 

Eu percebi como essa troca de aprendizados é necessária para você que empreende e trabalha no mercado brasileiro.

 

Mas ao mesmo tempo difícil de se obter…

 

Afinal os noticiários brasileiros falam da China apenas curiosidades e transações de mercado agrícola… como se lá fosse apenas um grande comprador nosso e nada mais.

 

E ao mesmo tempo é inviável para muitos empresários brasileiros viajarem diretamente para lá e fazer esse benchmark e troca de experiências e parcerias com os executivos chineses.

 

Percebi como é difícil e inacessível para muitos brasileiros terem acesso a empresários e pessoas-chave desse setor.

 

Um país continental como aquele, com 4 pólos de tecnologia, milhões de empresas…

 

Por onde começar?

Com quem falar?

E o mais importante: Como falar?

 

O mercado chinês está crescendo rápido demais, essa guerra comercial está criando uma oportunidade única para empresas brasileiras se aproximarem da China.

 

E talvez você não consiga tempo de planejar uma viagem longa até lá e ainda aproveitar essa oportunidade que pode não durar muito tempo.

 

Pensando nisso, e principalmente nessa oportunidade única que as empresas brasileiras poderão ter com as parcerias chinesas…

 

Nós da StartSe faremos o China Day Conference…

 

Onde eu e o time da StartSe levamos para o Brasil os maiores nomes e empresas do mercado chinês para você aprender e fazer negócios com eles.



Você vai aprender com as maiores empresas e especialistas do mercado chinês

  • Como esse mercado funciona e a forma dos chineses negociarem;

 

  • Potencial de mercado e crescimento de setores estratégicos;

 

  • Entender o que as empresas chinesas fizeram para escalar tão rapidamente e fazerem os maiores mercados e empresas do mundo temerem seus avanços;

 

  • As empresas e setores que mais chamam a atenção dos chineses e as melhores estratégias de fazer parcerias com elas;

 

  • Como o modo chinês de criar uma empresa, testar seu produtos em pouco tempo e usar a tecnologia de forma inteligente pode ajudar a sua empresa a alcançar resultados que você nunca imaginou;

 

  • Como lidar com as concorrentes, aproveitar o ponto forte deles e melhorar os pontos fracos para implementar isso em seus próprios produtos e serviços. Tornando sua concorrência irrelevante.

 

Serão mais de 10 palestrantes, startups do setor, investidores, empreendedores, executivos, todos em um mesmo lugar fazendo networking em um ambiente que apenas você e poucos empresários terão acesso.

 

Executiva da Alibaba Victoria Stive confirmada como keynote speaker no China Day Conference. Responsável pela América Latina na maior plataforma B2C do mundo, o Tmall (o shopping virtual do Alibaba).

Nele, as marcas podem criar lojas e vender seus produtos. Alguns números do Tmall:

• 617 milhões de Consumidores Ativos

• USD 25,3 bilhões é valor total de vendas no último Single’s Day (mais do que o Brasil vende o ano inteiro online).

• 60.9% é o Market Share do e-commerce B2C na China.

• 258% – Crescimento de vendas de produtos brasileiros nos últimos 3 anos.

 

Arthur Xiaosong, PRESIDENTE DO LIANLIAN PAY, é o quarto maior fornecedor de serviços de pagamento de terceiros não-bancários na China. Ele utiliza o que tem de mais moderno em blockchains. O pagamento entre países já suporta liquidação de 19 moedas e desfruta de ligação direta e serviços abrangentes de todos os principais bancos da China.

 

Zeng Guang, LÍDER DA ASSOCIAÇÃO DE FINTECHS DE SHENZHEN, eleito como uma das pessoas influentes pelo The Economics Observer; ele também é um dos dez talentos inovadores em Qianhai Finance. Especialista no setor de “internet Finance”, foi consultor da McKinsey, tutor no instituto de pesquisa de Gaoli da Universidade Remin e trabalhou no comitê da China Internet Association, responsável pela elaboração dos guias oficiais de fintechs.

 

Rui Han, CEO DO BRAZIL COMPANY AT HANERGY, CEO das operações da Hanergy, gigante de cleantech, que está iniciando operações no Brasil. A empresa produz inovadoras soluções focadas em usar energia solar para produtos para consumidores finais. A China é, de longe, a principal líder global em investimentos em cleantech e Hanergy é líder mundial em energia móvel, com mais de 16 mil funcionários.

 

Renato Pacheco Neto, PRESIDENTE DA CAE-EUROCÂMARAS, é especialista em ajudar a empresas a se internacionalizarem, possui ampla experiência no mercado chinês, representando vários clientes Fortune 500 chineses no brasil e já ajudou mais de 200 empresas a se internacionalizar.

 

Ronaldo Lemos, PROFESSOR DA UNIVERSIDADE DE COLUMBIA, em Nova York, representante do MIT Media Lab e formado na Harvard Law School. Lemos é especialista em Internet das Coisas e Blockchain e profundo conhecedor de como essas duas áreas funcionam na China.

 

Mario Issac, VP BUSINESS DEVELOPMENT @ WECASH, é o responsável pelo desenvolvimento de negócios do Unicórnio Chinês no Silicon Valley desde 2016, quando concluiu seu MBA pela Hult International Business School em San Francisco. Em ponte aérea constante com o HQ da empresa em Beijing, Silicon Valley e Brasil.

 

Jorge Arbache, SECRETÁRIO EXECUTIVO Fundo de Investimento Brasil-China, com US$ 20 bilhões de capital para serem investidos no Brasil. Secretário de Assuntos Internacionais do Ministério do Planejamento. Colunista do Valor Econômico, autor de livros e artigos sobre economia digital e do setor de serviços.

 

Eu e meu parceiro de StartSe Marcelo Maisonnave (um dos fundadores da XP Investimentos) também participaremos para compartilhar com você tudo o que sabemos e ensinamos a empresários brasileiros sobre como fazer negócios com a China e usar os exemplos que funcionaram muito bem por lá no seu negócio também.

 

O evento acontece no dia 24 de outubro, em São Paulo, no Centro de Eventos Pro Magno.

 

Mas para você que está lendo esse meu recado terá direito a uma condição exclusiva e especial…

 

O valor cheio para você participar do China Day Conference é de R$990,00.

 

E se você for ao site do evento verá que estamos com um desconto exclusivo de 15% para o ingresso individual podendo chegar a 23% OFF para 3 ou mais pessoas…

 

Entretanto…

 

Se você chegou até aqui… É porque você tem muito interesse em fazer ou aprender com os executivos chineses a fechar negócios e parcerias mais lucrativas, utilizar de suas estratégias para conseguir o que lhe prometi no início deste texto:

 

Transformar a Sua Empresa em Uma Máquina de Inovação Acelerada, em Apenas Um Dia, Conhecendo de Perto o Modelo Exponencial de Crescimento Chinês em um Evento Épico…

 

Por isso, quero te dar um desconto ainda maior para você garantir essa oportunidade de ter em primeira mão acesso a profissionais e especialistas do mercado chinês que pouquíssimas empresas e empreendedores brasileiros poderiam ter acesso.

 

Clicando neste link você irá garantir um desconto exclusivo de 30% enquanto durarem os primeiros 150 ingressos.

 

E ainda terá direito a 3 bônus extras totalmente gratuitos:

 

#BÔNUS 1 – Gravação do Evento

(Valor: R$990 GRATUITO PARA VOCÊ)

Você terá acesso a todas as Gravações do China Day Conference 2018 online para assistir sempre que quiser em qualquer desktop, notebook ou dispositivo móvel.

 

#BÔNUS 2 – Curso A NOVA ECONOMIA

(Valor: R$1.197 GRATUITO PARA VOCÊ)

Tenha acesso ao curso Online Nova Economia, ministrado pelo Marcelo Benvenutti, onde você aprenderá de maneira MACRO:

  • COMO SE MANTER RELEVANTE em um mundo de transformações tão rápidas…
  • QUAL O FUTURO DO TRABALHO e como você pode se garantir no mercado sem correr o risco de ficar desatualizado: nos próximos anos, 65% das crianças vão trabalhar em atividades novas que ainda não existem…
  • COMO DESENVOLVER UMA ATITUDE EMPREENDEDORA, de forma que você transforme a sua mentalidade e passe a ser um visionário comprometido com a disrupção de negócios nos próximos anos.
  • O PODER ENXUTO DAS STARTUPS, que permite de forma acelerada e inovadora fazer com que o seu negócio passe a criar soluções COM os seus clientes e não PARA os seus clientes…
  • DE QUE FORMA ATUAM OS INVESTIDORES DO VALE e saber exatamente o que eles buscam de oportunidades e como tomam decisões de investimentos, para que você possa entrar no radar deles…
  • COMO CORPORAÇÕES SE CONECTAM NA NOVA ECONOMIA e o seu papel nessa Nova Era de Disrupção de mercados e segmentos (empresas como Banco do Brasil, Embraer e várias outras)…

 

E muito mais…

 

São 10 módulos + 1 módulo BÔNUS e Aulas Ao Vivo com o próprio Benvenutti.

 

#BÔNUS 3 – Desconto Exclusivo e Preferência para participar da próxima turma da Missão Internacional de Negócios na China

(Valor: US$4.200 – R$1.000 DE DESCONTO EXCLUSIVO PARA VOCÊ)

Esse bônus é o ideal para você que acompanhar o China Day Conference e ficou com aquela vontade de quero mais. Você terá preferência e um desconto exclusivo conosco para participar da Missão China que acontecerá em Novembro deste ano ou na próxima edição (para dar tempo de você se programar).

Será a oportunidade de você conhecer durante 5 dias todo o Ecossistema Chinês, visitar as empresas mais inovadoras por lá e saber como é a estratégias delas por dentro.

 

Além de você também ter a chance de fazer networking com empresas que não estiveram na China Day Conference… aumentando suas parcerias e tornando seu mercado ou sua ideia de negócio ainda mais conhecida no mercado chinês.

 

Além de aprender com o dia a dia deles trazendo vários insights sobre como eles solucionam problemas e desenvolvem soluções para 1 bilhão de pessoas e aplicá-las diretamente no mercado brasileiro.

 

Resumindo, você que adquirir seu ingresso para o China Day Conference com 30% de desconto ainda terá direito aos bônus:

 

  • BÔNUS 1 – Gravação do Evento
  • BÔNUS 2 – Curso A NOVA ECONOMIA
  • BÔNUS 3 – Desconto Exclusivo e Preferência para participar da próxima turma da Missão China

 

Total de Bônus Exclusivos: R$3.187,00 (DE GRAÇA).

 

Aviso Importante: para garantir seu desconto exclusivo para a Missão China, é preciso você ter nosso código após adquirir seu ingresso para o China Day Conference e entrar em contato diretamente com a Amanda, nossa responsável pela Missão através do telefone: (11) 94465-9807. Ela vai explicar todos os detalhes da condição especial que reservamos para você.

 

E por fim, caso você ainda esteja indeciso sobre tomar essa decisão tão importante para a sua carreira e o futuro do seu negócio, quero compartilhar dois ensinamentos que falam muito por aqui na China:

 

O bom estrategista traz um exército dentro da cabeça…

 

Então para você se preparar para um mercado que está tendo que lidar com empresas com uma cultura e um modo de estratégia tão diferente do mercado ocidental precisa estar com a mente afiada e preparada.

 

Do contrário, ao invés de você saber tê-las ao seu lado, terá de enfrentá-las.

 

E esse é o caminho mais difícil e perigoso para o seu negócio.

 

E por fim…

 

Aquele que pergunta é tolo por 5 minutos. Aquele que não pergunta, será tolo para o resto da vida.

 

Conhecimento sem dúvidas é a garantia de ter algo de sucesso.

 

Essa é a oportunidade de você ter acesso a todo o conhecimento de mercado e aos profissionais que 90% das empresas brasileiras não terão acesso.

 

E você sairá de lá um profissional diferente, com o know-how diferente.

 

Enquanto todas as suas concorrentes permanecerão tolas diante dessa oportunidade, você já terá superado esse obstáculo e estará preparando sua empresa para esse mercado de 1 bilhão de clientes caso você queira criar parcerias por lá…

 

Ou dominar as estratégias que resolveram 1 bilhão de problemas… e aplicá-las com sabedoria e precisão para ajudar seus clientes aqui no Brasil.

 

CLIQUE AQUI E GARANTA SUA INSCRIÇÃO ANTES QUE OS 150 INGRESSOS ACABEM

 

Você está prestes a garantir sua presença no maior evento do Brasil dedicado 100% a explicar aos profissionais brasileiros as tecnologias e ensinamentos que os chineses estão usando para ter resultados extraordinários em seus negócios.

 

Um aprendizado que nenhuma empresa conseguiria a menos que gastasse mais de R$15.000 em viagem e hospedagem na China.

 

E ainda não saberia ao certo quais empresas visitar, quais negócios fechar ou por onde começar essa jornada.

 

E estamos prestes a trazer os maiores nomes, empresas e especialistas da China para passar um dia inteiro no Brasil ensinando você e mais 2 mil brasileiros.

 

Acesse todos os detalhes e reserve a sua vaga.

 

Espero te ver em breve no China Day Conference.

 

E como dizem por aqui na China…

 

Huítóu Jian (Te Vejo em Breve)

 

Um grande abraço,

 

Ricardo Geromel

Diretamente de Xangai, Setembro/Outubro de 2018.